domingo, 20 de novembro de 2011

FERIADOS EM PORTUGAL...(conclusão)

***+++++++++++++++++***
----------------------------
----------------------------
Também pode ser mudado,
no Domingo será igual...
É preciso é ter cuidado
e não melindrar Portugal.
Esta festa da Assunção
antes era tão importante...
...era um dia de devoção,
mas essa o Povo garante


--------------------------------
----------------------------------
Tem um ar de prostituta...
...uma das mamas ao léu...
...lixa o Povo ... é arguta...
...julgam que veio do céu!
Acabe-se com este feriado,
que não devia ter nascido...
...corrupção por todo o lado,
orgulho da Pátria ferido!

   
--------------------------------
--------------------------------
É dia de Todos-os-Santos
e portanto é um feriado!
O dia seguinte é de prantos
por alguém que é Finado!
Uma memória divinal  ...
...uma campa florida...
 Santos  glória sem igual...
 Finados... saudade da vida!




---------------------------------
-----------------------------------
Portugal foi restaurado,
saíndo do jugo de Espanha,
pois ele era vilpendiado
por gente que nos é estranha!
Independentes nós seremos,
mesmo não havendo feriado...
...e com alegria festejemos
este Portugal restaurado!

-----------------------------------
Padroeira de Portugal...
está no nosso coração...
...tem uma festa sem igual
e do Povo a devoção!
Acabar com o feriado?
Devem estar a brincar!
Olhem bem p'ra todo o lado
pois não estamos p'ra reinar!


-----------------------------
----------------------------
 Sem Subsídio de Natal
não vai haver consoada...
... e o feriado, afinal,
já não serve p'ra nada!
Agora já nem Jesus
acredita em nada igual:
O velho da barbas seduz...
...o Governo trata-nos mal!
 ***++++++++++++***+++++++++++++***
SE OS FERIADOS ESTÃO MAL, HÁ QUE MUDAR! AQUELES QUE QUEREM DAR AO PAÍS A OPORTUNIDADE DE SAÍR DA CRISE, DEIXEM DE PENSAR EM FÉRIAS DE SONHO NA QUARTEIRA... PORQUE HÁ QUE TER CUIDADO COM A CARTEIRA!
JÁ AGORA, OS POBRES NUNCA TIVERAM FERIADOS! PONTES APENAS AS DOS RIBEIROS LÁ NA SANTA TERRINHA.
SEI PORQUE A AGRICULTURA FOI ABANDONADA: OBRIGA A TRABALHAR MAIS QUE AS OUTRAS PROFISSÕES, SEM SÁBADOS, DOMINGOS OU FERIADOS... E O POVO QUER É CHOTES, BOLA E GAJAS PARA CURTIR, POIS O TRABALHO CANSA!

sábado, 19 de novembro de 2011

FERIADOS EM PORTUGAL...

ESTA COISA DOS FERIADOS
TEM MUITO QUE SE LHE DIGA!
MUITOS QUEREM SAÍR DA CRISE,
OUTROS COÇAM A BARRIGA!
POR ISSO EU ENTENDO DIZER O QUE PENSO... DEPOIS DE HAVER REFLECTIDO, SONHADO, PENSADO, DECIDIDO...
COMO SE VALESSE  O ESFORÇO,
O QUE PENSO É ISTO:
---------------------------------------------------------------          
---------------------------------------------------------------------------------
 -----------------------------------
------------------------------------
------------------------------------
Porque não está este feriado,
 na lista  para acabar?
 Num ano que não comece
 o Governo não vai gastar!
 Acabava em todo o Mundo...
 ... acabavam os reveilons...
 ... e apenas num segundo
 poupavam uns Euros bons!
 ---------------------------
---------------------------------------
-------------------------------------º-
Acabem lá com as imagens
de grandes amigos do Povo!
Fazem coisas tão selvagens...
...voltam a fazer de novo...
Acabando com o Entrudo,
a que chamam Carnaval
o Povo queda-se mudo...
e não vai levar a mal!
                                              
                                                                    

---------------------------------
---------------------------------
Irá sempre celebrar-se,
nem que seja no coração...
...mas não irá acabar-se
  nesta ou outra ocasião!
Os Cristãos não gostariam
vêr tocar-se na religião...
...eles não mais votariam
e isso não será solução.

--------------------------------------------
-------------------------------------------
-------------------------------------------
Por  este ser sempre ao Domingo
nem pensem em o mudar...
...mesmo que alguns digam BINGO
quando a Páscoa se acabar!
O patronato ia dizer não?
Dirá antes ser bestial...
...e os Hipper abrem então,
aos Domingos em Portugal!

-----------------------------
-----------------------------
Este podia bem acabar
e não ficavam saudades...
... serve só p'ra enganar
e esconder as verdades!
Portugal está falido
pela data deste feriado
e o povo arrependido
por o ter comemorado!
  Se é dia do Trabalhador
porque parar o trabalho?
Ao trabalho dá-se valor...
...e a ele nunca falho!
Acabem lá com o feriado
que nem é universal...
... Portugal arruinado
dispensa mais este mal!

-------------------------------
--------------------------------
-------------------------------
Este é festa religiosa
que ao Domingo fica tão bem!
Podiam mudá-la sem prosa
da Igreja e de ninguém!
Queriam fazer a ponte?
Descansar na sexta feira?
Bebam é água da fonte
porque não dá bebedeira!





--------------------------------
--------------------------------

É precisa muita maldade
para este feriado ter fim!
A Portugal, valha a verdade,
alguém quer ditar o fim!
Comunidades e Camões,
são por si uma razão...
... mas para alguns lambões
é um feriado sem tradição!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------
O RESTO, SE NÃO SE IMPORTAM, É PARA COLOCAR NA PRÓXIMA POSTAGEM. NÃO SE PODE TER TUDO DE ENFIADA, NÃO É?

sábado, 8 de outubro de 2011

SONHAR... ACORDADO?

Muitas vezes nos acontece sonhar... acordado, mesmo que não consigamos perspectivar o que nos está a acontecer, fazendo que "olhemos à volta...sem ver nada" , porque  parece estar  tudo no mesmo lugar... parece que todas as  pessoas que nos rodeiam não conseguem transmitir ideias de felicidade para ninguém... talvez porque ninguém pode ser feliz se não transmite felicidade. É um sentimento que tem faltado nos nossos hipermercados, não sabendo as gerências se alguma vez o conseguirão adquirir para colocar à disposição da farta clientela... que se contenta com uns pacotes de aparências.
Hoje é um dia em que nada é do que é, mesmo o tédio que ressalta do facto de nada se parecer com a solidão que nos pega de surpresa e começa a fazer aquele papel massudo de transformar o nada em tudo, não te dando tempo para perguntares o que aconteceu, como aconteceu e porque aconteceu. É que isto torna toda a conversa imaginária e ninguém poderá dizer a alguém que sabe responder à questão:
É ISTO SONHO OU PESADELO? ACORDADO OU A DORMIR?  
Hoje apenas apetece  ficar parado, a pensar em  tudo ou nada e, completamente perdidos no tempo, procurar rentabilizar o tempo em que nos é permitido escolher um caminho. E esse caminho será alguma coisa de positivo, surpreendente, terno e doce, porque permite que caminhemos ao encontro da felicidade, fazendo com que acordemos desse sonho tão vazio como as brumas o são de estrelas.
Sabes? Hoje é um dia para se ser feliz... e deves saber que a felicidade é um bem a partilhar hoje, amanhã e sempre... mesmo que te pareça um sonho acordado.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

SONHOS...

Muitas vezes me pergunto, mentalmente como convém, o porquê dos sonhos, a razão que leva um cego a "vêr" coisas que nunca viu, porque os cegos, mesmo nunca tendo acedido à imagem,   também têm direito a sonhar e viver esses sonhos de modo a que possam  envolver todos os outros sentidos, como sejam os sons, o cheiro, os toques, as  emoções... Para uma pessoa que vê, torna-se  difícil  imaginar, mas o sono produz uma necessidade tão forte que o corpo até se torna capaz de lidar com quase todas as situações físicas para que tal aconteça.
A maior parte das vezes, quando sonhamos, quase  tudo se desvanece nos minutos seguintes após o havermos acordado,  pois logo nos  esquecemos cerca de metade dos sonhos tidos. O  poeta  Samuel Taylor Coleridge, acordando numa manhã, depois de ter tido um sonho fantástico – pegou numa caneta e no papel e começou a escrever a “visão de um sonho”, que o tornou num dos mais famosos poetas ingleses: Kubla Khan.
Parte desse poema já havia sido escrito - 54 linhas -, quando o poeta  foi interrompido por alguém. Ao voltar,  para continuar o poema, não conseguiu lembrar-se do resto do sonho, levando a que o  poema jamais fosse concluído.
A não ser que haja casos extremos de índole psicológica, todo o ser humano é capaz de sonhar, sendo curioso saber-se até que ponto duas pessoas,  que vivam uma mesma experiência num mesmo local e no mesmo tempo, irão ou não ter sonhos semelhamtes, pois sabe-se que  os homens e as mulheres têm sonhos diferentes  e reações físicas também diferentes, dado os homens terem uma tendência para sonhar mais sobre outros homens, enquanto nas mulheres  a tendência é para sonharem do mesmo modo sobre os homens e as mulheres, sem diferenciações.
Resulta ainda que , tanto os homens como as mulheres relacionam as reações físicas aos seus sonhos,  mesmo que estes não tenham um cariz sexual,  levando a que nos homens  seja costume  haver ereções e nas mulheres  o aumento do fluxo de sangue vaginal.
Nos  sonhos é frequente verem-se rostos estranhos , mas não se trata de rostos "inventados" pelo nosso subconsciente, uma vez que esses rostos são de pessoas reais, que fizeram parte das nossas vidas, mesmo que não o saibamos ou recordemos. O "assassino" do nosso  sonho de ontem poderá muito bem  ser aquela pessoa que abasteceu o carro da família quando nós ainda éramos  apenas crianças.
Qualquer um de nós já viu centenas de milhares de rostos durante as  nossas vidas, havendo por isso mesmo uma infinidade de personagens prontas para serem utilizadas pelo nosso cérebro durante os sonhos.
Talvez não seja uma novidade para muitos, mas cerca de 12% da população sonha apenas a preto e branco, enquanto o resto da população sonha "a cores".
As pessoas também  são levadas a  ter temas comuns para os sonhos, como, por exemplo, aqueles que se relacionam com a  escola, com o estar a aprendizagem a ser muito demorada ou o local onde se situa; as experiências sexuais;  alguém que está vivo,   aparecer morto; um dente que está a caír;  um acidente de carro, etc.
Ainda não se conhece até que ponto o impacto de um sonho relacionado com violência ou a morte é mais emocional para uma pessoa que sonha  a cores ou para aquela que sonha a preto e branco.
Os sonhos têm uma línguagem profundamente simbólica. A nossa mente, inconsciente, tenta comparar o que sonhamos a algo mais que lhe seja semelhante. Deste modo, qualquer que seja o  sonho tido, é bem  provável que se trate apenas de um símbolo.
Há uma outra curiosidade que é a chamada paralisia do sono, que acontece durante o sono como uma forma de evitar que o corpo se mova durante os sonhos. Este fenómeno natural acontece todas as noites, embora raramente seja notado pela própria pessoa enquanto dorme.
Momentos antes da mente despertar, a paralisia cessa, razão para que  raramente se tenha consciência da sua existência. Se, porventura, a mente despertar antes do mecanismo de paralisação ser desactivado, então ocorrerá a consciência da paralisia do sono e esta consciência pode ser bastante perturbadora, porque o indivíduo dará por si mesmo completamente paralisado, incapaz de mover os membros.
A mente está ainda  a atravessar um período de transição entre o estado de sono e o estado de vigilia (ou vice-versa) e nessa altura podem surgir alucinações hipnagógicas, por exemplo: a presença de uma pessoa... ouvir vozes ou sons... ter sensações de flutuação ou de se  estar a  saír do próprio corpo... imagens de pessoas... a visualização de objectos...  a sensação de estar a ver tudo em redor de si,  mesmo estando com os olhos fechados, etc.
As alucinações e a própria paralisia são inofensivas. A mente tem miríades de segredos que o Homem de todos os tempos vem procurando desvendar... mesmo que os caminhos da mente sejam quase sempre... insondáveis. 

domingo, 3 de julho de 2011

Ao sabor da pena... sem pena!


Muitas vezes nos interrogamos sobre o sentido que tem perpetuar a memória das coisas através de monumentos de ordem vária, uns de tão vincado mau gosto que o homenageado parece mais estar a ser vilpendiado que outra coisa... mas o contrário também acontece, pois há também algum bom gosto a mostrar que se gostava realmente daqueles a quem respeitam tais monumentos... ou então o monumento ultrapassa o mérito em absoluto.

No alto do Parque Eduardo VII há um exemplo acabado de mau gosto, pois o artista não se coibiu de mostrar a sua arte na homenagem à Revolução de Abril, mas mais parece que se referia a um tema bem diferente, dado o resultado conseguido com os enormes pedregulhos que baptizou de... cravos. Mesmo que se diga que Mestre João Cutileiro utilizou a sua técnica escultórica mais conhecida, que é apreciada em grande parte do mundo, julgo poder dizer que falhou por completo na sua capacidade de convencer o Povo de que "aquilo" é um cravo e o monumento representa uma revolução, porque não vemos outra coisa que não um "objecto fálico" ou um foguetão dos tempos dos "Flinstones".
O Parque Eduardo VII não ficou bem servido, diga-se.
A maioria da monumentalidade que hoje vemos em Lisboa foi resultado da reconstrução da cidade após o terramoto de 1755.
Felizmente ainda foi possível "resgatar" algum património construído, que estaria menos destruído, como alguns espólios romanos e visigóticos, tal como árabes. 
Eram góticos os primitivos conventos de São Domingos e São Francisco, com as Igrejas anexas, que foram remodeladas posteriormente, tal como era gótico o Convento do Carmo, que se viu reduzido a ruínas desde o terramoto de 1755.
Outros monumentos que são das mais preciosas jóias da nossa arquitectura são o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém ou a fachada da igreja da Conceição Velha, em estilo manuelino, as igrejas de S. Roque e de S. Vicente de Fora, em estilo renascença jesuítica. Em estilo barroco encontramos a Igreja de Santa Engrácia, bem como a igreja e o convento da Graça, sendo a Basílica da Estrela um rico exemplar do estilo barroco e neoclássico.
Lisboa bem merece uma visita demorada, para que possamos admirar o seu vasto património arqueológico e museológico, pois este, para além do mais, tem um valor que transcende tudo aquilo que possamos imaginar. 

terça-feira, 31 de maio de 2011

QUE TAL... UMA HISTÓRIA?

Quando na nossa meninice, umas vezes por iniciativa dos manos mais velhos, outras pela voz dos babados avós ou até dos próprios papás, nos foram contadas daquelas histórias de encantar que têm uma moral subjacente.
Antes de Prokofiev nos dar música com a história  de Pedro e o Lobo, já Esopo andara atarefado a contar histórias com moral... e lembrou-se de lançar esta:
"O Pedro era um rapazinho que fazia o seu trabalho como pastor, pois tomava conta de ovelhas enquanto estas pastavam. Era uma tarefa por demais aborrecida, porque nunca tinha ninguém com quem brincar ou conversar... e isso era mesmo "chato", porque ninguém gosta de viver o dia-a-dia sózinho.
Como era ladino e gostava de se divertir, lembrou-se de fazer uma brincadeira apenas com o intuíto de se rir um bocadinho.
Resoluto, subiu para cima de um morro de pedra existente no local, colocou as mãos em concha e toca a gritar:  
- Acudam! Lobo, é um lobo! Socorro... acudam que é um lobo!
A população armou-se de varapaus, foices roçadoras e caçadeiras de todos os tipos e correu seca e Meca à procura do bichinho que amedrontava Pedro... mas não viram bicho nenhum!
Pedro, o rapazola, estava eufórico com a lembrança que tivera, pois enganara os adultos lá da aldeia. Ele ria... ria... ria, mas os populares não acharam muita graça à brincadeira... e foram para casa.
A brincadeira repetiu-se no dia seguinte, com o Pedro a gritar como se estivesse a ser comido vivo:
- Acudam! É o lobo! Socorro...
...e novamente os fazendeiros e outras gentes da aldeia correm em socorro do pequeno pastor... que se ria a bandeiras despregadas, porque não há qualquer bicho.
Os populares foram embora, dizendo uns para os outros: - Este Pedro anda a gozar e pensa que não temos mais nada para fazer...
Dias depois, os habitantes da aldeia voltam a ouvir Pedro em altos berros:
- Acudam que está aqui um lobo! Socorro...
...mas a populaça não ligou nenhuma: - Então ele pensa que nos engana mais uma vez? Hoje ele que se divirta sózinho!
Pedro gritou, berrou, chorou porque o lobo estava mesmo a matar as ovelhas mais bonitas do rebanho.
De regresso à aldeia, ainda com lágrimas nos olhos, Pedro queixou-se e perguntou:
- Porque não me socorreram? O lobo matou todo o rebanho e fiquei sem ovelhas.
- Olha, Pedro: não te ajudámos porque estava tudo farto das tuas brincadeiras. Desta vez foi verdade? O culpado fostes tu!
......................................................................................................
Não esqueço que falei de uma história com moral... e esta está bem à vista:
GOZA O QUE PUDERES, PORQUE VAIS PAGAR CARA A BRINCADEIRA!
Sei que o autor diz que nunca se deve enganar os outros. Concordas?

quarta-feira, 20 de abril de 2011

RESSUSCITADOS COM CRISTO...

PÁSCOA DE CRISTO...

.

- Diz-me, mulher, o que vistes,


lá no Alto do Calvário?


Acaso te divertistes?


Viste de Cristo o Sudário?


E então... que terá sido


tudo aquilo que aconteceu...


...dizem ter ali o Mestre morrido...


...até jogaram as Suas vestes


num simples jogo de dados,


mas para não as cortarem


ficou com um dos soldados!


Foi pregado numa Cruz,


por ordem do consul romano,


a quem esta morte nem seduz...


... os sacerdotes levam-no ao engano.


Na cabeça uma coroa de espinhos,


chamam-Lhe rei, fingem lisonja...


...e depois que percorreu aqueles caminhos,


dão-Lhe a beber vinagre numa esponja!


De cada lado tem outro supliciado:


O bom e o mau ladrão das Escrituras.


São três horas... e Cristo com um brado,


sobe ao Pai... o mundo fica às escuras!


Era Sexta Feira de Paixão,


estava próxima a Páscoa dos Judeus.


Descem Jesus da Cruz, levando-O então,


para dentro do Sepulcro de um dos Seus!


Na manhã do 3º. dia, o Domingo,


as mulheres foram lá para O ungir:


- Pareciam ficar sem sangue, nem um pingo:


a pedra foi rolada, os soldados a dormir...


...lá dentro só vêem as faixas, os panos,


o Corpo do bom Jesus... desapareceu...


...imagino os traumas, os danos...


meu Deus... como isto aconteceu?


Logo que passou a estupefacção


percebem que o Mestre Ressuscitou...


...as Escrituras falam-lhes ao coração,


já sabem que da morte Cristo voltou!


- Que vistes no Calvário, naquela Cruz,


no dia em que foi Crucificado


aquele que é Amor, o bom Jesus?


- Vi alguém cheio de luz, o RESSUSCITADO!


Era o Mestre na plenitude do seu Amor...


Vi Alguém que nos remiu do vil pecado...


Vi Cristo, que se fez Deus Humanado!

.

Victor Elias

sexta-feira, 18 de março de 2011

DIA DO PAI - DIA DE SÃO JOSÉ

O GUARDIÃO DE JESUS
.
Diz-se que para ser pai
é preciso ter vocação...
... sempre sorrir, sem um ai
que nos fira o seu coração!
E o exemplo maior é
de um pai adoptivo enorme
que dá pelo nome de José
e vela quando Jesus dorme!
Desposou a Virgem Maria
a terna Mãe do Salvador,
protegendo-a noite e dia,
respeita-a e dá-lhe amor.
É a Família de Nazaré
o símbolo da humanidade,
exemplo das pessoas com fé
vivendo em amor e verdade.
São José é o guardião
de Jesus e de sua Mãe...
...de quem lhe ora com devoção
e da vida quer paz e bem!
E essa Família Sagrada
- Jesus... Maria... José...
seja para sempre louvada
e aumente a nossa fé!
Sede para sempre propícios
usai toda a misericórdia...
...livrai-nos dos precipícios
fazei-nos viver em concórdia!
Protegei todos os Pais...
fazei-os viver cristãmente
para que os filhos jamais
deixem de ter Deus presente!
.
Poema de
Victor Elias

domingo, 30 de janeiro de 2011

O REGICÍDIO DO REI D. CARLOS...

Um Rei morreu...
...não de uma morte já prevista,
mas algo trágico aconteceu
de forma cruel jamais vista!
Morreu porque um novo ideal
ousou dizer não ser um engano
poder haver em Portugal
um regime novo: o Republicano!
E para tal vir a acontecer,
não se podia haver mais fantasia:
- El Rei D. Carlos teria de morrer...
...tinha que se destruír a Monarquia!
E com o Rei assassina-se o Herdeiro!
Era esse o espírito republicano...
...e o Buiça deu-lhe o tiro derradeiro,
não fosse ele escapar... por engano!
Houve gritos e sangue sem igual...
o coche segue rápido para o Arsenal...
...estava morto El Rei de Portugal
e o Príncipe das Beiras por igual!
Há luto a envolver os corações...
...a Rainha escapou por um triz!
Crepes a cobrir os reais brasões...
mas Dona Amélia não dobrou a cerviz!
O Príncipe D.Manuel, apesar da juventude,
será o Rei, ainda que por pouco tempo...
...a Monarquia está em crise, sem saúde,
como um veleiro fustigado pelo vento!
Tudo isto aconteceu no passado
102 anos completos a 1 de Fevereiro...
...Portugal tem um Império terminado
com o horror de um crime verdadeiro!
Que dizer agora a terminar?
Será para reflectir o acontecido?
A República, 100 anos está a passar...
...em Portugal o crime não foi esquecido!
*
Victor Elias