quinta-feira, 20 de maio de 2010

Poema P’ra Minha Mãe!...

Mãe!... Em Fátima por ti rezei,
Aos pés da Virgem Maria...
Aonde ali TU estivéstes um dia!

À Mãe de todas as Mães,
Eu pedi uma lembrança...
- um desejo de Menino,... Deus com tanta esperança!

Do teu Colo eu vi Jesus,
A sugar o teu divino alimento...
- da minh’Alma e todo o meu sustento!

No regaço do teu carinho,
Dormi e sonhei muito embora,...
- já então adivinhei o meu e o TEU “ir embora”!

Tudo que é de meu, foi TEU,
Oh Mãe da minha saudade...
- de te ver de novo... quanta vontade!!!???...

Das Mães que eu tive na terra,
Todas, todas,... em TI eu vejo...
E neste dia abençoado, te deixo apenas um beijo!...

*

Um poema de Silvino Potencio

sábado, 1 de maio de 2010

PARA TODAS AS MÃES...

Retrato da Mãe
*
Uma simples mulher existe que,
pela imensidão do seu amor,
tem um pouco de Deus,
e pela constância de sua dedicação
tem um pouco de anjo;
que, sendo moça, pensa como uma anciã
e, sendo velha,
age com todas as forças da juventude;
quando ignorante,
melhor que qualquer sábio
desvenda os segredos da natureza,
e, quando sábia,
assume a simplicidade das crianças.
Pobre, sabe enriquecer-se
com a felicidade dos que ama e,
rica, empobrecer-se para que seu
coração não sangre, ferido pelos ingratos.
Forte, entretanto,
estremece ao choro duma criancinha,
e fraca, não se altera
com a bravura dos leões.
Viva, não sabemos lhe dar o valor
porque à sua sombra todas as dores se apagam.
Morta, tudo o que somos e tudo que temos
daríamos para vê-la de novo,
e receber um aperto de seus braços
e uma palavra de seus lábios.
Não exijam de mim que diga o nome dessa mulher,
se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum:
porque eu a vi passar no meu caminho.
Quando crecerem seus filhos,
leiam para eles esta página.
Eles lhe cobrirão de beijos a fronte,
e dirão que um pobre viandante,
em troca de suntuosa hospedagem recebida,
aqui deixou para todos
o retrato de sua própria MÃE.
.
Autor desconhecido