terça-feira, 31 de maio de 2011

QUE TAL... UMA HISTÓRIA?

Quando na nossa meninice, umas vezes por iniciativa dos manos mais velhos, outras pela voz dos babados avós ou até dos próprios papás, nos foram contadas daquelas histórias de encantar que têm uma moral subjacente.
Antes de Prokofiev nos dar música com a história  de Pedro e o Lobo, já Esopo andara atarefado a contar histórias com moral... e lembrou-se de lançar esta:
"O Pedro era um rapazinho que fazia o seu trabalho como pastor, pois tomava conta de ovelhas enquanto estas pastavam. Era uma tarefa por demais aborrecida, porque nunca tinha ninguém com quem brincar ou conversar... e isso era mesmo "chato", porque ninguém gosta de viver o dia-a-dia sózinho.
Como era ladino e gostava de se divertir, lembrou-se de fazer uma brincadeira apenas com o intuíto de se rir um bocadinho.
Resoluto, subiu para cima de um morro de pedra existente no local, colocou as mãos em concha e toca a gritar:  
- Acudam! Lobo, é um lobo! Socorro... acudam que é um lobo!
A população armou-se de varapaus, foices roçadoras e caçadeiras de todos os tipos e correu seca e Meca à procura do bichinho que amedrontava Pedro... mas não viram bicho nenhum!
Pedro, o rapazola, estava eufórico com a lembrança que tivera, pois enganara os adultos lá da aldeia. Ele ria... ria... ria, mas os populares não acharam muita graça à brincadeira... e foram para casa.
A brincadeira repetiu-se no dia seguinte, com o Pedro a gritar como se estivesse a ser comido vivo:
- Acudam! É o lobo! Socorro...
...e novamente os fazendeiros e outras gentes da aldeia correm em socorro do pequeno pastor... que se ria a bandeiras despregadas, porque não há qualquer bicho.
Os populares foram embora, dizendo uns para os outros: - Este Pedro anda a gozar e pensa que não temos mais nada para fazer...
Dias depois, os habitantes da aldeia voltam a ouvir Pedro em altos berros:
- Acudam que está aqui um lobo! Socorro...
...mas a populaça não ligou nenhuma: - Então ele pensa que nos engana mais uma vez? Hoje ele que se divirta sózinho!
Pedro gritou, berrou, chorou porque o lobo estava mesmo a matar as ovelhas mais bonitas do rebanho.
De regresso à aldeia, ainda com lágrimas nos olhos, Pedro queixou-se e perguntou:
- Porque não me socorreram? O lobo matou todo o rebanho e fiquei sem ovelhas.
- Olha, Pedro: não te ajudámos porque estava tudo farto das tuas brincadeiras. Desta vez foi verdade? O culpado fostes tu!
......................................................................................................
Não esqueço que falei de uma história com moral... e esta está bem à vista:
GOZA O QUE PUDERES, PORQUE VAIS PAGAR CARA A BRINCADEIRA!
Sei que o autor diz que nunca se deve enganar os outros. Concordas?